Adoção Responsável

Primeiramente, gostaríamos de te parabenizar por tomar a decisão de adotar um animal! Além de conseguir um amigão você estará salvando uma vida.

Vamos começar?


Antes de Adotar:

  • Obtenha concordância de todos os membros da família;
  • Verifique se há recursos financeiros necessários para manter um bichinho. Ele precisará de ração de boa qualidade, medicamentos e eventuais cuidados veterinários;
  • Verifique se há alguém que possa ficar com ele durante viagens inesperadas, férias ou feriados prolongados;
  • NUNCA dê animais de presente. Não imponha um animal a alguém que não fez uma escolha consciente de adoção. Animais não são brinquedos ou objetos, muito menos presentes.
  • Se escolher adotar um filhote, lembre-se que ele é fofinho e pequenininho por enquanto, mas precisará de mais cuidados, irá crescer e terá que ser disciplinado. Se você não tiver paciência ou tempo para criar e educar um filhote, adote um animal adulto.
  • Todos os animais precisam de visitas periódicas aos veterinário, de atenção e carinho. Não basta dar comida e água, os animais precisam de amor e carinho.
  • Esteja consciente de que todo animal necessita fazer xixi  e cocô. Alguém precisará se responsabilizar pela limpeza da caixa de areia (do gato) ou do local ensinado ao cão.
  • Animais não podem ficar ao relento, passando frio ou calor! Se ele for morar no quintal, você terá que providenciar um abrigo fresco no verão e um quentinho no inverno.
  • Não é correto deixar o animal preso ou acorrentado. Animais precisam de espaço, carinho e exercícios.
  • Mesmo morando em apartamento, a lei lhe garante o direito de ter animais de estimação. Você só tem que tomar cuidado para não incomodar os vizinhos;
  • Considere – futuramente – adotar um segundo animal. Bichos que têm companhia de outros animais são mais felizes, raramente tem depressão ou tristeza, brincam e se divertem sem ficarem dependentes de humanos.

 

Depois de Adotar:

  • Assim que seu amigão chegar em casa, coloque nele uma plaqueta com seu nome e telefone na coleira dele. Se por infelicidade um dia ele fugir e se perder, será facilmente devolvido pra você
  • Cadastre o chip do seu animal em seu nome (informações ligar 156). Com isso, caso algum dia ele seja apreendido pela carrocinha, você será avisado;
  • Os animais adotados pelo Projeto Marcelinho Protetor são todos castrados. Dessa forma evitamos crias indesejadas e contribuímos com o fim do ciclo de abandono animal. Saiba mais sobre a importância da castração aqui.
  • É necessário colocar telas de proteção em janelas, áreas de serviços e varandas de apartamento para evitar quedas fatais ou que provoquem ferimentos muito sérios.
  • É necessário manter o animal sempre dentro de casa, jamais solto na rua, principalmente sem supervisão de um humano adulto.
  • Para os cães, é fundamental o passeio. Mas só permita que eles saiam de casa acompanhados por um responsável. O bichinho deve usar coleira com identificação e guia. O responsável deve ter força para contê-lo e ao passear em vias públicas, não se esqueça de recolher o cocô e jogar no lixo.
  • Já os gatos não precisam fazer passeios externos. Eles vivem muito bem apenas dentro de casa, caso tenha que levá-lo a algum lugar, utilize a  caixa de transporte. As ruas são muito perigosas para gatos soltos, eles podem ser atropelados ou envenenados.
  • Banhe, escove e exercite seu animal periodicamente. Gatos de pelo curto não necessitam de banhos constantes.
  • Leve o animal regularmente ao veterinário.
  • Mantenha a vermifugação e a vacinação sempre em dia.
  • Dê-lhe atenção, carinho, estímulos e ambiente adequado para que seu bichinho tenha sempre uma boa saúde psicológica.
  • Se precisar, eduque o seu animal por meio de adestramento, mas sem agressividade e respeitando suas características comportamentais. Recompensas funcionam melhor do que castigo.
  • Eduque as crianças para respeitar seu amigão. Não as deixe bater, morder, chutar, torcer, puxar ou jogar seu animal contra paredes, escadas ou janelas. Muitos animais que ferem crianças foram agredidos primeiro e só estavam se defendendo. Dê-lhes um bom exemplo e não maltrate seu animal.
  • Quando for viajar para lugares onde não puder levá-lo com você, deixe-o com um parente ou amigo ou peça para que cuidem dele na sua ausência. Em ultimo caso leve-o a um hotelzinho de confiança, onde ele não fique confinado e receba atenção.
  • Nunca abandone nenhum animal. Ele corre o risco de sofrer todos os tipos de maus-tratos na rua, como espancamento, mutilações, envenenamento, queimaduras… Ele sentirá frio, fome e sede. Ele poderá ser atropelado, ficar ferido, doente, sentir dor, medo, tristeza… Sem contar que abandono (e maus-tratos) é crime!

 

Se por algum motivo você não está de acordo com os termos acima, recomendamos que pense melhor sobre a adoção. A adoção de um animal requer o comprometimento de boa higiene, carinho e cuidado, gera muitas responsabilidades e, talvez, você ainda não esteja preparado para isso.

 

 

 

 

Anúncios